TI Verde: data center em nuvem | Tecmach - Soluções em Outsourcing

TI Verde: data center em nuvem

TI Verde: data center em nuvem

Seja por comodidade ou até mesmo para seguir uma tendência mundial, cada vez mais empresas transformam seus data centers em nuvem. Mas o que muitas organizações levam em conta nessa decisão é o ganho de espaço e a economia de energia, sendo a opção pela nuvem uma das primeiras práticas de TI Verde a serem adotadas. Com isso, parte do armazenamento de dados, trabalhos e aplicativos de um negócio fiam armazenados em empresas especializadas e com máquinas muito potentes. Assim, o acesso a eles é feito pela web ou redes dedicadas.

A assim chamada TI Híbrida já é realidade em muitos lugares e pesquisas recentes apontam que 43% das empresas e organizações pretendem levar ao menos metade de sua estrutura de TI para a nuvem nos próximos 5 anos. Isso levas as empresas que optam por contratar esse tipo de serviço a uma questão importante: como decidir o que vai e o que não vai para a nuvem?

Antes de mais nada, é necessário saber também qual é o melhor momento de fazer esta migração. Especialistas do setor são unânimes em apontar que isto deve ser cogitado quando há a necessidade de atualizar a plataforma de trabalho da empresa. É nessa hora que devemos levar em consideração o que pode ficar no local e o que poderia ir para a nuvem, aproveitando assim suas vantagens.

Autonomia ou dependência

Caso o aplicativo ou carga de trabalho sejam autônomos, podem ser transferidos para a nuvem sem o menor problema. Já quando ele depende de outros sistemas que ficam em sua empresa, devem ficar locais. Por exemplo, tudo o que envolve o blog institucional poderia ser migrado e ficar em nuvem. Já o CRM interno, como depende de conectividade com diversos outros sistemas, deve ficar local para evitar riscos.

Carga de trabalho voltada ao cliente ou acessada pela Internet

Se a carga de trabalho é basicamente acessada pela Internet, migrá-la para a nuvem garante que seus usuários tenham o máximo de performance independente do tempo de trabalho, do desempenho e da disponibilidade dos sistemas da sua empresa. Isso também se aplica quando é difícil medir exatamente a quantidade de tráfego de um aplicativo. Com ele na nuvem, é possível aproveitar serviços adicionais e sua agilidade.

Nível de experiência

Se esta for a primeira vez que sua empresa vai migrar para a nuvem, muita atenção com a administração e segurança de aplicativos e cargas a serem migrados. Comece com os serviços mais básicos e vá aumentando a quantidade da migração conforme for se acostumando com os processos.

O ponto que nunca deve ser esquecido é que a opção de migrar ou não para a nuvem visa a melhora do trabalho do usuário final e do serviço aos seus clientes. Avalie bem os custos da migração, que são vinculados a fatores como velocidade e desempenho, saiba quais são os requisitos de cada carga de trabalho ou aplicativo e assim tire o máximo de proveito com custos que valem a apena.

(Imagens: reprodução)

Compartilhe essa página

Deixe seu comentário